Câncer da Próstata

Assim que recebe o diagnóstico de câncer de próstata, o homem fica, geralmente, com muitas dúvidas sobre a doença e quer saber como esse câncer pode ser tratado. Também é normal que homens com câncer de próstata, seus familiares e demais pessoas próximas sintam medo e fiquem muito preocupados. A maioria dos homens acredita que suas angústias são aliviadas quando compreendem melhor o tratamento para o câncer de próstata.

Esse conteúdo destina-se a você e aos seus familiares. É projetado para ajudá-lo a compreender e a lidar com sua doença. O texto explica o que é o câncer de próstata, como ele se desenvolve e quais são seus efeitos. Discute o possível impacto que o câncer de próstata pode ter em sua vida e como ele pode ser tratado e descreve os conhecimentos que os médicos e outros profissionais da saúde têm atualmente sobre o tratamento da doença.

Após ler este conteúdo, você e seu médico provavelmente precisarão discutir mais sobre sua doença e tratamento. Trabalhando em conjunto, você planejará melhor o seu tratamento.

A freqüência do câncer da próstata aumentou significativamente nos últimos anos e hoje os homens estão mais conscientes dos problemas da próstata. Na próstata pode ocorrer um crescimento benigno, chamado de hiperplasia, que gera dificuldade para a eliminação da urina e um segundo caso que é o câncer da próstata associado ou não a um crescimento benigno.

O carcinoma de próstata é raro antes dos 50 anos, mas a incidência aumenta constantemente com a idade. Por isso, fazer exames de detecção precoce após essa idade é importante. O câncer de próstata é encontrado em um grande número de indivíduos sem lhes causar nenhum mal, sendo que eles morrem por outro motivo, muitas vezes sem saber que têm o câncer. Em alguns casos, entretanto, a doença exibe rápido desenvolvimento metastático, levando à morte rapidamente. Quanto mais precocemente se diagnostica um tumor, maiores são as chances de cura.

O câncer da próstata pode aparecer por fatores genéticos. Homens com parentes de 1° grau que tiveram a doença têm duas ou três vezes mais chances de desenvolvê-la. A incidência aumenta proporcionalmente ao avanço da idade. Daí a importância de se agendar consultas periódicas com o urologista.

Se você tem mais de 45 anos, consulte um médico para fazer exames preventivos pelo menos uma vez ao ano. (Fontes: Oncoguia/INCA/IMC)